The English R Coming! The never ending story of Portuguese rhotics

  • João Veloso

Abstract

Os róticos são provavelmente a classe consonântica do português que conheceu o maior número de mudanças no último século. A literatura costuma referir as observações de Viana (1883, 1903) a propósito do início do processo de substituição gradual da vibrante múltipla alveolar pela vibrante múltipla uvular. Neste artigo, tentamos identificar e datar outras mudanças, verificadas posteriormente, que vieram alterar a configuração e a organização geral das vibrantes do português: (i) na subclasse das vibrantes múltiplas, referiremos a introdução de consoantes fricativas (e, nas variedades brasileiras da língua, das consoantes glotais também) para o lugar do rótico uvular que iniciou o processo de entrada no português no final do século XIX; (ii) na subclasse das vibrantes simples, referiremos a emergência das variantes retroflexas, admitidas para o português do Brasil há já algumas décadas (principalmente, em resultado da variação sociolinguística) e que, no português europeu, parece começar a instalar-se a partir da fala de jovens escolarizados de alguns centros urbanos. Estes dados encontram suporte em alguns estudos recentes e, como será posto em destaque no presente texto, no corpus do Arquivo Dialetal do Centro de Linguística da Universidade do Porto.
Published
2015-03-31